HomeDocumentosCurso Técnico em Agente Comunitário de Saúde – ACS: Diretrizes e Orientações...

Curso Técnico em Agente Comunitário de Saúde – ACS: Diretrizes e Orientações para a Formação

As constantes transformações no contexto do trabalho em saúde, motivadas
por avanços científicos e tecnológicos, também por diretrizes e propostas
governamentais, trazem novas perspectivas para a formação profissional no Brasil, especialmente aquela destinada à construção das políticas públicas que possam melhorar o acesso e a qualidade no Sistema Único de Saúde (SUS). No contexto da Estratégia Saúde da Família (ESF), em que estão inseridos os agentes comunitários de saúde (ACS) e os agentes de combate às endemias (ACE), a ideia de promoção e prevenção – entendida como elemento importante para a melhoria da saúde pública, aliada à necessidade de oferta de formação profissional orientada pelas necessidades contemporâneas dos usuários do SUS e pelos avanços tecnológicos – motivou o Ministério da Saúde (MS), por meio da
Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde (SGTES), a atualizar as diretrizes que norteiam a formação técnica desses importantes atores da saúde brasileira. Por meio de uma construção pedagógica intensamente discutida com trabalhadores da Saúde, gestores e instituições formadoras, foi elaborado um novo conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que engajam os profissionais da Saúde em uma nova realidade epidemiológica e tecnológica para melhor atender à população brasileira. As novas diretrizes são frutos de quem acredita no potencial de
aprimoramento do ser humano, na capacidade de alcançar novos patamares de formação profissional com o grande objetivo final de promover o bem para o próximo e de contribuir para que o nosso país seja cada vez mais uma nação que valoriza a vida de seus cidadãos.

Ministério da Saúde
Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde

PARA BAIXAR O MATERIAL, CLIQUE AQUI:

RELATED ARTICLES

Most Popular

Recent Comments

ENQUETE

NA SUA OPINIÃO, QUAIS PAUTAS DEVERÃO SER PRIORIDADE NO ANO DE 2024?